Brasil Invertido

 

 

 

Mauricio Oliveira apresenta seu trabalho ´Brasil Invertido´. O artista toca baixo acústico, violão e canta acompanhado de João Viana na bateria e Rannieri Oliveira no teclado.

 

Mauricio Oliveira nasceu com a rosa dos ventos tatuada na alma, e soube otimizar o bairrismo. Soube organizar a brasilidade completamente inerente à curiosidade do músico pleno sobre as coisas do mundo. Mundo este conhecido através inclusive, de sua passagem pelo renomado MI (Musicians Institute) em Los Angeles, cursando contrabaixo, e graduado com honras. Antes disso estudou no CLAM, a escola do lendário Zimbo Trio e na IDWILD SCHOOL OF MUSIC na Califórnia (EUA), especializando-se em outra de suas searas, o jazz.

 

Baixista, compositor, arranjador e cantor. Em sua história, já esteve ao lado de Flavio Venturini, Alceu Valença, Lenine, Sandra de Sá, Kid Abelha,Banda BlackRio e Seu Jorge só para citar alguns felizardos. Outros estão neste disco novo: Linox, Max Vianna, Gabriel Moura, Ronaldo Fialho e Dudu Falcão. Contribuições preciosas, que só atestam o faro do artista por boas coisas. Em “Registro”, seu primeiro filho, ele disse ao que veio com todos os passaportes. Neste “Brasil Invertido”, a inversão proposta sustenta um atraente contrário: o valor nada invertido da multiplicidade brasileira. Sambas, baladas, nordestes e incursões explícitas na modernidade mundial; melódica e rítmica. Tudo magistralmente bem gravado. Tudo soando honesto e inovador mas deliciosamente tradicional. Assinam a produção o próprio Maurício e Alexandre Castilho. ´

 

 

 

SOBRE BRASIL INVERTIDO

 

 

 

“Brasil Invertido” é resultado de inquietude e de fertilidade; de inconformismo e sofreguidão; de necessidade e de experiência.

 

“Sotaque” é perfeita como abertura. Diz o que todos gostariam ao chegar em qualquer lugar: “O meu não vai embora, carrego pra onde eu vou”.  A quase irônica “Francesinha”, com vista para o céu e elegância de Eiffel, flerta com a nova bossa. Elegante. “Encontro”, parceria com Línox, remete ao dia a dia de forma direta, melodia iluminada, balada atemporal.

 

A faixa título brinca com definições, enquanto que a levemente latinizada “Um sem outro” conta com a participação de Leila Pinheiro. “Nêga” vem com outra roupa. Originalmente gravada em seu primeiro trabalho “Registro”, entrou na festa como VIP, refrão irresistível e remix correto de Marcelinho da Lua. 

 

“Brasil Invertido” é um âmago atingível e sustentável. Um lado A com a cara que todo lado A deveria ter,diverte, eleva e faz pensar. Pensar sobre o Brasil, sobre você, sobre o Mauricio.

 

 

Paulo Loreiro